A maca pertence à família das Brassicáceas, a mesma do nabo, das couves e da mostarda. É chamada, pelas suas propriedades tónicas, de ginseng peruano. Três estudos clínicos realizados por grupos de cientistas em Itália e no Peru demonstraram que ingerir este alimento regularmente, até um máximo de três gramas diárias, aumenta o desejo sexual ao fim de oito semanas de tratamento, sem alterar os níveis hormonais.

O reconhecimento dos benefícios nutritivos da maca não é novo. Num estudo realizado em 2008 pelo Departamento de Psiquiatria do Massachusetts General Hospital, em Boston, nos Estados Unidos da América, foi confirmado que a mesma dose pode anular a disfunção sexual causada por antidepressivos. A maca reduz ainda os sintomas da menopausa, segundo um estudo publicado em 2008 na revista Menopause.

Durante a fase de validação da investigação, 14 mulheres tomaram 3,5 gramas de maca durante seis semanas, obtendo reduções significativas na ansiedade, na depressão e na disfunção sexual, concluíram os especialistas. Nativa do Peru, este ingrediente cresce maioritariamente na região dos Andes, a uma altura de 4.000 metros. Pode exibir várias cores e a raiz tende a ser a parte mais utilizada da maca.

Os princípios ativos e as principais propriedades

Flavonoides e antocianinas com ação antioxidante são exemplos dos princípios ativos do famoso ginseng peruano. Esta planta contém ainda saponinas com ação hormonal que etimulam a libido e a espermatogénese e glucosinatos que impedem a formação de células cancerígenas. O tónico da energia vital é uma das propriedades mais importantes e é aconselhado a desportistas como alternativa ao ginseng.

Este vegetal está também indicado no tratamento complementar de várias patologias. Além da astenia sexual, tem sido usado com êxito para combater a depressão, o cansaço físico e a fadiga cerebral. Quando tomado 30 minutos antes das refeições, reduz o apetite, garantem muitos especialistas. Para além disso, diminui a infertilidade, principalmente masculina, aumentando o número de espermatozoides.

Funciona também como afrodisíaco em ambos os sexos, sem alterar os níveis séricos (no sangue) de testosterona, de estradiol e de outras hormonas, como é o caso da LH, da FSH e da prolactina. A ingestão regular de maca reduz ainda a disfunção sexual, incluindo a falta de libido e a ejaculação retardada, dois problemas que afetam a vida sexual de muitos homens e que também podem ser provocados pela utilização de antidepressivos.

As precauções a ter durante a administração

No Peru, utiliza-se como alimento, tal como em Portugal se utilizam as cenouras ou batatas, razão pela qual é difícil falar em doses máximas. No entanto, existem doses mínimas para que estas raízes tenham os efeitos terapêuticos referidos. As quantidades mínimas recomendads são 500 miligramas a 2 gramas do pó da raiz, de manhã ou a meio da tarde, disponível em cápsulas de gelatina dura ou comprimidos.

Está contraindicada em doentes com problemas renais. Deve ser utilizada com cautela durante a gravidez por poder causar contrações uterinas devido ao seu princípio ativo apiol. As raízes da maca podem acompanhar qualquer refeição. São, normalmente, cozidas ou pode-se polvilhar o pó por cima do arroz ou massas. Também se pode fazer um molho com um pouco de azeite, gengibre e natas de soja para acompanhar peixe.

Revisão cientifica: João Beles (naturopata e professor no Instituto de Medicina Tradicional de Lisboa)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.