Um estudo publicado no "Journal of the European Academy of Dermatology and Venereology" revelou que metade dos doentes com psoríase que atingiram pele limpa ou quase limpa não acreditavam que este fosse um objetivo realista de tratamento.

O estudo "Clear about Psoriasis", levado a cabo pela farmacêutica Novartis, destaca que, apesar de a pele limpa ou quase limpa ser hoje um resultado viável do tratamento, os doentes ainda enfrentam uma longa jornada para atingir essa realidade.

O estudo envolveu mais de 8.300 pessoas com psoríase (moderada a grave) em 31 países, incluindo Portugal, e revelou que, em média, os doentes tentaram quatro tratamentos diferentes e precisaram de consultar três profissionais médicos diferentes antes de obter uma pele limpa.

Para quase 30% dos doentes, isso traduziu-se em mais de meia década de espera para identificar um tratamento eficaz. Além disso, dos 43% dos entrevistados que confirmaram que conseguiram obter uma pele limpa ou quase limpa, mais de metade não acreditavam que fosse um objetivo de tratamento alcançável. Os resultados do estudo salientam o forte impacto psicológico, além de físico, da psoríase nos doentes, que vai muito além das lesões na pele.

Um estudo levado a cabo em Portugal tinha já demonstrado o peso da patologia na qualidade de vida dos doentes. Mais de metade dos inquiridos do estudo "PeSsOa", que envolveu 400 portugueses com psoríase, revelou ter tido sintomas relacionados com a doença moderados a graves todos os dias (36.3%) ou quase todos os dias (19.9%) na semana anterior.

Mais de um quarto (25.3%) afirmaram que a psoríase tinha um forte impacto na sua qualidade de vida2. As dimensões de qualidade de vida mais afetadas são ansiedade/depressão - tendo 48,2% referido estar moderadamente ansiosos ou deprimidos e 7% referiram estar extremamente ansiosos ou deprimidos – e dor ou desconforto – tendo 36% referido dor ou desconforto moderados e 4,7% dor ou desconforto extremos.

O que é a psoríase?

A psoríase é uma doença imunomediada, não contagiosa, que afeta até 125 milhões de pessoas em todo o mundo, estimando-se que afete 250 mil pessoas em Portugal.

A psoríase em placas é a forma mais comum da doença e é caracterizada pelo surgimento de manchas vermelhas, cobertas com um acúmulo de células mortas da pele. A psoríase não é um problema cosmético, mas sim uma doença persistente, crónica (duradoura) e muitas vezes angustiante, que pode inclusive afetar os aspetos mais simples da vida quotidiana das pessoas.

Para além disso, até 40% de pessoas com psoríase desenvolvem ou vão desenvolver artrite psoriática, na qual as articulações também são afetadas, o que causa sintomas debilitantes, incluindo dor, rigidez e danos nas articulações irreversíveis.

A psoríase também está associada a outras condições graves de saúde, como diabetes, doenças cardíacas e depressão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.