Lesões provocadas pela ação de morder, as mordeduras de animais são susceptíveis de causar infecções (cães ou lobos) ou envenenamento (cobras ou outros reptéis).

Em Portugal, as mordeduras causadas por cães, cobras e escorpiões são as mais frequentes.

Mordeduras de cães

Estas mordeduras provocam feridas dilacerantes ou punctiformes, causando hemorragias leves ou abundantes.

Como prevenir

  • Evite locais onde circulem cães desconhecidos.
  • Se estiver perante cães desconhecidos, mantenha-se calmo. Não deve correr, nem elevar o tom de voz.
  • Nunca provoque um cão enquanto está a comer ou a dormir.

Como agir face a uma mordedura

  • Lave a ferida com água e sabão para destruir as bactérias, presentes na saliva e nas mucosas do animal.
  • Se a mordedura foi provocada por um animal desconhecido, deve contactar os agentes sanitários para efectuarem a recolha do animal.

Quando procurar ajuda médica?

  • Quando a hemorragia causada pela mordedura é abundante.
  • Sempre que a mordedura for causada por um animal desconhecido, devido ao elevado risco de contrair doenças como o tétano e a raiva.

Mordeduras de escorpiões

Os escorpiões podem encontrar-se em todo o território nacional. Mas são mais frequentes no Alentejo, devido às temperaturas mais elevadas.  Em Portugal, há uma única espécie de escorpiões, o lacrau que circula em zonas áridas, como campos e jardins.

A mordedura do escorpião causa uma dor forte que se prolonga pelo membro afectado.  Pode provocar náuseas e vómitos. Em pessoas sensíveis, pode surgir uma reacção alérgica que pode dar origem ao choque anafiláctico.

Como prevenir

  • Esteja atento sempre que circula em áreas de risco. Se vai percorrer florestas ou se trabalha no campo, proteja-se, usando calçado adequado.
  • Evite circular em zonas com relva ou arbustos altos que dificultem a sua visibilidade.

Como agir  

  • Aplique gelo no local da mordedura, para reduzir a dor e o inchaço.
  • Para ajudar a neutralizar o veneno do escorpião, aplique compressas com bicarbonato de sódio.  Esta substância vai neutralizar o efeito do veneno.
  • Se tiver um anestésico local pode colocá-lo para reduzir a dor.

Quando procurar ajuda médica?

  • Se a dor permanecer intensa, após algumas horas.
  • Sempre que desenvolver uma reacção alérgica.

Mordeduras de cobras

Neste caso, há o risco de o veneno entrar na corrente sanguínea. Em Portugal, não é uma situação frequente.

Sempre que a mordedura for causada por uma cobra venenosa surge o choque anafiláctico. A mordedura causa dor, inchaço, hematoma, náuseas, vómitos, tonturas, febre, hipotensão e focos hemorrágicos. Pode levar  à paralisia muscular ou à paragem cardio-respiratória, podendo causar a morte.

Se estes sintomas não se manifestaram até 30 minutos depois da mordedura, a cobra que a causou não é venenosa. O perigo de desenvolver complicações é menor, mesmo assim deve recorrer a observação médica.

Como prevenir

  • Evite circular em zonas de grande vegetação.
  • Use botas sempre que circular em zonas de risco.
  • Se for confrontado com uma cobra, deve afastar-se e não deve provocá-la.

Erros a evitar face a uma mordedura de cobra

  • Fazer qualquer tipo de incisão.
  • Tentar sugar o veneno.
  • Aplicar gelo no local da mordedura ou fazer qualquer tipo de lavagem.
    Ingerir alimentos ou bebidas. A ingestão de alimentos ou bebidas dilata os vasos sanguíneos, provocando uma maior disseminação do veneno na corrente sanguínea.

Como agir?

Proteja a zona da mordedura e providencie, de imediato, o transporte para o hospital. Deve entrar em contacto com o Centro de Informação Anti-Venenos (C.I.A.V.), através do número 808 250 143. Se não se recordar do número, ligue para o 112 e reencaminharão a sua chamada.

Mantenha-se calmo e imobilizado. Deve desapertar a roupa e imobilizar o membro afectado. Quanto mais se movimentar, maior é a probabilidade de o veneno se disseminar na corrente sanguínea.

No hospital, deve tentar descrever a cobra que causou a mordedura para identificar o tipo de veneno.

Se assistiu à mordedura, deve fazer de imediato um garrote no local da mordedura para evitar a disseminação do veneno na corrente sanguínea, colocando um adereço que permita bloquear a zona afectada. O garrote só se justifica quando é feito imediatamente após a mordedura.

Em caso de paralisia muscular ou paragem cardiorespiratória, deve-se fazer, de imediato, manobras de reanimação na vítima. Saiba mais aqui.

Quando procurar ajuda médica?

Em caso de mordedura de cobras, deve recorrer sempre a observação médica.

e [caption][/caption]