As dores nas costas são mais comuns na mulher, em todas as idades, mas sobretudo após a menopausa. Pensa-se que as diferenças anatómicas da bacia, fatores hormonais e o impacto da gravidez expliquem esta maior prevalência no sexo feminino.

Também o peso carregado em carteiras e sacos, os saltos altos e finos ou o excesso de peso e sedentarismo são fatores que contribuem.

Há ainda algumas doenças associadas a dores nas costas que são mais frequentes na mulher, como a fibromialgia e a osteoporose com risco de fratura. Em Portugal, no primeiro estudo efetuado sobre cirurgias da coluna vertebral no Serviço Nacional de Saúde, também se verificou um ligeiro predomínio das mulheres - 54% - entre os doentes operados à coluna entre 2011 e 2016.

Para Bruno Santiago, neurocirurgião e coordenador da campanha nacional “Olhe pelas suas costas”, o segredo para evitar problemas de coluna está na adoção de medidas preventivas que ajudem a combater potenciais lesões.

A propósito do Dia Internacional da Mulher, assinalado a 8 de março, a campanha “Olhe pelas suas costas” deixa 4 conselhos para que as mulheres portuguesas tenham costas mais saudáveis:

Praticar exercício físico regularmente – O exercício físico é o pilar da prevenção e tratamento das dores nas costas, mesmo durante a gravidez. Estima-se que mais de 50% das grávidas sofrem de dores na coluna, mas a prática de exercício adequado, com acompanhamento médico, pode ajudar a prevenir e aliviar estas dores. “Há tendência da mulher grávida para pensar que a dor nas costas é ‘normal’ e que não há como a prevenir ou melhorar, mas exercícios de fortalecimento muscular podem ajudar a diminuir o problema”, explica o neurocirurgião.

Adotar uma postura corporal adequada – a postura corporal da mulher enquanto trabalha, principalmente em profissões sedentárias, enquanto realiza tarefas domésticas ou transporta pesos tem um forte impacto nas costas. “Corrigir a postura nos vários momentos do dia, por exemplo sentar-se com as costas bem apoiadas, carregar pesos de forma adequada sem fletir o tronco, é crucial para a saúde das costas.”, diz Bruno Santiago.

Evitar calçado com saltos altos e finos – o uso de calçado confortável e adequado é essencial para prevenir dores nas costas. Isto não significa que as mulheres devem usar apenas saltos rasos. “Optar por sapatos com salto de base larga e altura de até 4 centímetros é o ideal, pois garante-se o apoio do pé, sem que sejam necessárias correções na musculatura lombar, como acontece com saltos mais altos e finos”, afirma o especialista.

Controlar o peso – o excesso de peso também contribui para a dor nas costas, pois desequilibra a estrutura corporal e esforça a coluna. “Controlar o peso, mantendo uma alimentação saudável, é essencial para reduzir as dores nas costas e, ao mesmo tempo, prevenir outras doenças”, conclui Bruno Santiago.

As dores nas costas afetam 7 em cada 10 portugueses e em mais de 70% dos casos as queixas dizem respeito à dor lombar. Motivo de absentismo laboral, as dores nas costas são já a segunda causa mais frequente de ida à urgência hospitalar e representam mais de 50% das causas de incapacidade física em idade ativa, sublinha Bruno Santiago, recordando que “é extremamente importante estarmos atentos à saúde das nossas costas. As doenças da coluna vertebral são atualmente a principal causa de incapacidade no mundo”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.