O que é?

O preservativo feminino tem a forma de um tubo e é feito à base de nitrilo (substância semelhante ao látex). Tem um anel em cada uma das extremidades.

Este método é colocado no interior da vagina e pode ser inserido até oito horas antes da relação sexual.

Não deve ser utilizado em simultâneo com o preservativo masculino (externo), isto porque o atrito causado pelos dois preservativos poderá fazer com que estes se rompam mais facilmente.

Depois da ejaculação, o preservativo retém o esperma, prevenindo o contacto com colo do útero, evitando a gravidez.

Protege contra doenças?

O preservativo feminino protege contra as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

Como se utiliza?

  1. Segurar o preservativo com a extremidade aberta voltada para baixo;
  2. Usar o polegar e o dedo médio para comprimir o anel flexível do lado fechado de forma a torná-lo um oval estreito;
  3. Com a outra mão, afaste os lábios da vulva;
  4. Inserir o anel e o preservativo na vagina;
  5. Usar o dedo indicador para empurrar o anel o mais profundamente possível na vagina;
  6. Inserir um dedo por dentro do preservativo até tocar a parte de baixo do anel, empurrar o anel para trás do púbis;
  7. Assegurar de que o anel externo e parte do preservativo estão fora da vagina e sobre a vulva;
  8. Verificar se o pénis penetra no interior do preservativo;
  9. No final da relação sexual, deve-se torcer o anel externo e puxar delicadamente o preservativo para fora. Deve-se retirar logo após a ejaculação, para que não escorra o líquido seminal para dentro da vagina.

Qual o nível de eficácia?

Se usado corretamente, é um método seguro. Estima-se que possam ocorrer 10 gravidezes por cada ano em 100 mulheres

Quais as vantagens?

O preservativo feminino previne contra as IST e não tem efeitos secundários ou contraindicações graves. Não necessita de supervisão médica e é um método cuja utilização depende exclusivamente da mulher.

Sendo ainda de difícil aquisição em Portugal, o preservativo feminino está disponível em delegações da APF, através do Programa Nacional para a Infeção VIH/SIDA e em organismos do sistema Nacional de Saúde.

As recomendações e explicações são da Associação para o Planeamento da Família.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.