Uma equipa de médicos da Associação Portuguesa de Cirurgia Ambulatória (APCA) realizou na terça-feira, 30 de outubro, na região de Nampula, as primeiras cirurgias ambulatórias feitas em Moçambique, operando dois pacientes pediátricos e dois adultos.

Os pacientes foram submetidos a intervenção cirúrgica de manhã de terça-feira, no Hospital Central de Nampula, e tiveram alta ao final da tarde.

"Estas cirurgias inserem-se no curso de formação de cirurgia ambulatória, que decorrerá em Nampula, Beira e Maputo, até ao dia 6 de novembro, e que conta com a participação de 191 profissionais de saúde", refere Carlos Magalhães, presidente da APCA. O curso de formação pretende ser um importante contributo para a implementação da Cirurgia Ambulatória em África.

O curso é organizado pela APCA, em conjunto com a Associação Internacional de Cirurgia Ambulatória (IAAS) e com a Associação de Saúde para as Crianças e Famílias Moçambicanas (Health 4Moz).

Apoio clínico de especialistas moçambicanos

No Hospital Central de Nampula, a APCA reconhece toda a colaboração e apoio do diretor do Hospital, o médico Cachimo Mulima, da diretora clínica, Bainabo Sahal, e dos cirurgiões Dércio Fernandes e Dalva Khosa.

A cirurgia em regime de ambulatório tem tido, nos últimos anos, em Portugal, um desenvolvimento positivo, sendo que o principal fator de sucesso e desenvolvimento tem sido a sua característica multidisciplinar, envolvendo diferentes grupos profissionais, assim como a garantia de segurança e de elevados índices de qualidade no tratamento dos nossos doentes.

A Associação Portuguesa de Cirurgia Ambulatória (APCA), que comemora este ano o seu 20º aniversário, tem como principal objetivo defender, promover e protagonizar o processo de evolução da cirurgia de ambulatório em Portugal.