A Reabilitação Respiratória é uma componente fundamental no tratamento do doente respiratório crónico. Tem sido alvo de particular atenção pelos investigadores nos últimos 10 anos e é actualmente apontada como uma intervenção de primeira linha no tratamento da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), bem como em outras doenças respiratórias crónicas, propiciando diminuição dos sintomas, melhoria na funcionalidade, capacidade de exercício e qualidade de vida e na autonomia da gestão da doença.

Um programa de reabilitação respiratória tem como objectivos proporcionar a diminuição das incapacidades físicas e psicológicas causadas pela doença respiratória através da melhoria da aptidão física e mental, alteração de comportamentos de agravamento, promovendo a reintegração social e capacitando o doente para a gestão integrada da sua doença.

Um programa de reabilitação respiratória assenta em três pilares: controlo clínico, ensino e treino de exercício.

A reabilitação respiratória deverá ter o suporte técnico de uma equipa interdisciplinar composta por médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos, nutricionistas e terapeutas ocupacionais.

As doenças respiratórias são mais prevalentes no sexo masculino, no entanto e devido às alterações marcadas nos hábitos tabágicos no sexo feminino, estas diferenças tendem a diminuir.

Os principais benefícios da reabilitação respiratória são a redução dos sintomas respiratórios de fadiga e dispneia, a reversão da ansiedade e depressão associados à doença respiratória, a melhoria da tolerância ao exercício com aumento da resistência ao esforço, a melhoria na habilidade para a realização das actividades da vida diária, a redução das agudizações, a redução do número de consultas não programadas e recurso ao Serviço de Urgência, a  redução do número de dias de hospitalizações, a  diminuição dos custos directos e indirectos relacionados com a saúde e uma melhor integração familiar e social.

Foi no sentido de ajudar as pessoas com doenças respiratórias crónicas a redescobrir a alegria de cantar e aproveitar os benefícios desta atividade em segurança e com acompanhamento profissional que o AIR Care Centre®, Centro de Reabilitação Respiratória, decidiu criar o coro “Respirar a Música”.

Contrariamente ao que é comum pensar que cantar poderia causar stress e aumentar a dispneia ou falta de ar, o cantar melhora o controlo respiratório, bem como a capacidade respiratória e a mobilização torácica, para além de ser fator de integração social e melhoria da qualidade de vida. A música é alegria, cantar é prazer.

Mais uma iniciativa do AIR CARE CENTRE, Centro de Reabilitação Respiratória da Linde que traz inovação no processo da Reabilitação Respiratória em Portugal, mas também internacionalmente.

Um artigo de António Carvalheira Santos, médico e Chefe de Serviço de Pneumologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.