No seu regulamento, um tribunal de Frankfurt afirmou que uma doença inclui mudanças pequenas ou temporárias no estado normal do corpo o que confere à ressaca estatuto de doença.

Por isso, produtos alimentares, incluindo bebidas, não podem ser comercializados para prevenir ou tratar doenças, acrescentou a instância judicial.

"As informações sobre um produto alimentício não podem atribuir propriedades para prevenir, tratar ou curar uma doença humana ou dar a impressão de que possuem essa propriedade", disse a decisão da justiça alemã, citada pela DW, a radiotelevisão pública alemã.

"Por uma doença, deve-se entender até pequenas interrupções ou temporárias no estado normal ou na atividade normal do corpo", acrescentou. 

Isso, diz a decisão, inclui cansaço, náusea e dores de cabeça, sensações que normalmente são associadas às ressacas, e que a fabricante da bebida em causa afirmava ser capaz de curar.

A decisão acontece poucos dias após o início de uma das principais festa de cerveja do mundo, a Oktoberfest, que começou no sábado (21) e termina  6 de outubro em Munique, na Alemanha.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.