A agorafobia é o medo de locais de onde não conseguimos sair imediatamente por nossa vontade ou onde não exista uma ajuda imediata. Está muitas vezes associada à ansiedade generalizada ou ao transtorno de pânico. É o nosso sistema de medo, que se engana na forma de sentir a situação pois avalia-a como perigosa, que dá origem ao impulso de fugir da situação. Marcos Pasquim foi uma das poucas celebridades a admitir o problema.

"Nunca se sabe o motivo pelo qual isso se desenvolveu. [Pode ter sido] stresse, sei lá. Pode ser um monte de coisa", admitiu o ator brasileiro em entrevista a uma publicação no final de setembro de 2018. Apesar de continuar a ser tabu, é muito mais comum do que aquilo que, à partida, poderia julgar. O cérebro pensante passa a interpretar de uma forma errónea o local, como se este implicasse um perigo real para a pessoa.

A confusão que muitos fazem

Não há formas instantâneas de mudar a situação, mas uma psicoterapia cognitiva torna bastante provável a superação deste medo, como sublinham muitos especialistas, nacionais e internacionais. É preciso compreender a fisiologia e psicologia do medo e da ansiedade, em que muitas vezes se sente taquicardia e isso nada significa, sendo então necessário aprender a respirar pausadamente para reduzir os sintomas físicos.

Depois, é essencial mudar o pensamento erróneo acerca deste medo, pois as crenças que mantém amplificam e mantêm a ansiedade. Progressivamente, irá aplicando as técnicas às situações e sentirá um controlo progressivo, até o medo se extinguir, o que na maioria das situações acaba mesmo por acontecer. A agorafobia é também apontada como sendo o medo de estar em espaços abertos ou no meio de uma multidão.

A fobia dos concorrentes dos reality shows

Muitos participantes em reality shows televisivos, depois de vários meses fechados numa casa, acabam por manifestar comportamentos que apontam para indícios desta fobia, sendo que muitos deles acabam mesmo por ter de receber apoio psicológico. Um dos casos mais paradigmáticos foi o de José Maria Seleiro, o famoso Zé Maria da primeira edição do "Big Brother", transmitido pela TVI em 2000.

Em 2004, após a euforia popular que o transformou numa celebridade, o concorrente alentejano chegou a estar internado no Hospital Miguel Bombarda, em Lisboa, de onde foi transferido para a Clínica Psiquiátrica de São José, na zona norte da capital. A agorafobia é um dos distúrbios mais difíceis de tratar porque, ao contrário de outros, não tem um estímulo fóbico concreto, sublinham ainda várias publicações.

Texto: Fernando Magalhães (psicólogo clínico) e Luis Batista Gonçalves (edição digital)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.