Aqui ficam oito recomendações vitais sobre a vida pessoal e profissional que poderão contribuir para a sua realização pessoal ao longo da sua vida.

1. Aprenda a dizer não

Para impressionar, não dececionar ou porque, simplesmente, pensamos que podemos dizer sim a tudo. Muitas vezes, é difícil para nós dizer "não" a alguém ou a algo. Mas, é um grande erro. Acabamos por nos sobrecarregar com responsabilidades infinitas, tarefas impossíveis que reduzem significativamente a nossa produtividade e, no final, ficamos frustrados e aumentamos o nosso nível de ansiedade. Aprender a dizer "não", não é apenas necessário, mas também saudável.

2. Não trabalhe sozinho por dinheiro

Sim, o dinheiro é importante, mas conseguir mais, nunca deve ser o principal impulsionador na tomada de decisões. Se ficarmos num emprego que não gostamos só por dinheiro, não vamos ser felizes. É claro, sabemos que o dinheiro nos permite ter acesso às condições materiais que queremos, mas se não nos concentrarmos na nossa existência, corremos o risco de perder o foco no que realmente nos fará felizes. Ouça-se a si mesmo, seja corajoso e tome decisões colocando a sua felicidade à frente de bens materiais e económicos.

3. Aprenda a aprender com os outros

Encontramos frequentemente alguém que tem mais conhecimento ou mais experiência de trabalho do que nós. Não considere isso como uma ameaça, mas como uma oportunidade, pois pode aprender muito com essas pessoas, com as suas experiências e como resolveram os problemas que enfrentaram. Temos tendência a pensar que, numa determinada idade, a aprendizagem já não é assim tão importante, que já sabemos tudo. Pelo contrário, relacione-se com pessoas que o ajudem a continuar a aprender e a desenvolver-se pessoal e profissionalmente. Os seus níveis de motivação crescerão de dia para dia.

4. Mantenha-se ativo fora do trabalho

Não se engane: o trabalho não é tudo na vida. Encontre tempo fora do horário de trabalho para se dedicar a fazer as coisas que gosta e lhe proporcionam bem-estar. Muitas vezes pode ser complicado dado o cansaço do trabalho diário, mas, encontrar pequenos momentos para desenvolver os seus hobbies no final do dia, torna-se essencial. Pense no que gosta de fazer: desporto, pescar, costurar, estudar, tomar uma bebida com os seus amigos à tarde ou cozinhar um prato especial. Faça isso. São coisas pequenas, simples e agradáveis, que lembrarão que também pode ter vida além do trabalho.

Inês Pires, especialista em Recursos Humanos na Michael Page.
Inês Pires, consultora na Michael Page créditos: Direitos Reservados

5. Encontre o equilíbrio entre sua vida pessoal e profissional

É absolutamente normal: o próprio trabalho enfatiza. E nada acontece para reconhecê-lo. Haverá momentos em que terá de fazer horas extras, sacrificar o tempo pessoal e viver situações complicadas. Mas, aceite-os de maneira equilibrada e saiba quais são os limites e quando deve dizer “não”. Tem de respeitar a sua vida pessoal e levá-la tão a sério quanto as suas responsabilidades profissionais. O trabalho é importante, mas também o que faz fora dele.

6. Jogue em equipa

Quando os problemas são partilhados, alcançam outra dimensão. Isso aplica-se tanto ao dia a dia no trabalho quanto à vida fora da empresa. Os seus colegas podem dar-lhe uma visão diferente que permitirá enfrentar a adversidade com outra perspetiva. Mesmo que não seja assim, verá que ao confiar na sua rede de pessoas mais próximas, tudo ficará mais fácil.

7. Desligar-se da tecnologia

O uso excessivo e constante da tecnologia é uma das tendências do nosso tempo. Este é provavelmente um dos pontos mais difíceis de ultrapassar neste mundo constantemente ligado. Pode começar por limitar a utilização de dispositivos em horários específicos do dia (uma hora antes de ir dormir, quando está em reuniões sociais, às refeições ...), e aproveitar a vida com uma nova atitude, valorizando esses momentos de inatividade tecnológica.

8. Trate bem de si

O burnout é atualmente um dos principais reflexos do excesso de trabalho. Cuidar de si, procurar a sua saúde e bem-estar deve ser a sua prioridade número 1. Se está tão focado no trabalho a ponto de ficar doente, está na hora de parar e mudar. Sacrificar a sua saúde pelo trabalho é um preço que ninguém deveria pagar.

Esperamos que estas recomendações sirvam de inspiração e possam ser úteis. Se conseguir interiorizá-las durante a sua vida, verá como, pouco a pouco, se sentirá mais feliz, e ligado a si mesmo e às suas necessidades.

As recomendações são da psicóloga e consultora Inês Pires, especialista em Recursos Humanos na Michael Page.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.