A nova ministra é Tracy Crouch, que ocupou anteriormente a pasta dos Desportos, e assume a missão de gerir um problema que confessa ser "mais complexo e menos fácil" de definir do que se poderia pensar: "A solidão significa coisas diferentes para cada pessoa", afirmou.

A solidão é uma fenómeno social que afeta quase 14% dos 65 milhões de habitantes das ilhas britânicas ou seja cerca de nove milhões de pessoas. As conclusões são do relatório da comissão para a Solidão, criada pela deputada trabalhista Jo Cox que foi assassinada durante a campanha para o referendo ao Brexit.

"A solidão pode ser causada pelo isolamento social, que pode dever-se a todo um conjunto de fatores. Pode ser um problema de mobilidade ou de idade. Mas qualquer pessoa, em qualquer idade, pode sentir solidão", comentou ainda a ministra já empossada.

"Para muitas pessoas, a solidão é a triste realidade da vida moderna", acrescenta Theresa May.

Segundo o referido relatório, a epidemia oculta da solidão custa à economia britânica cerca de 2,8 mil milhões de euros todos os anos.

O documento indica que a solidão pode mesmo ser mais perigosa que a obesidade ou quinze cigarros por dia.

O relatório frisa que três em cada quatro médicos do Reino Unido atendem, por dia, cinco pessoas que vivem sós.

"Jo experimentou e testemunhou a solidão durante a sua vida, especialmente quando começou a estudar na Universidade de Cambridge e esteve separada da sua irmã Kim, pela primeira vez", escreveu a Fundação Jo Cox no Twitter na quarta-feira.

É a primeira vez que é nomeado um ministro para a Solidão em todo o mundo.