Tem 47 anos, diz que já tem 10 filhos e ainda quer engravidar mais 2.500 mulheres. Anda a viajar pelo mundo para o conseguir mas está a ser alvo de críticas desde que a sua pretensão se tornou pública. Joe Donor, como é conhecido, pretende aumentar a prole pelo método mais clássico, relações sexuais sem proteção. "Eu, basicamente, só faço sexo para que as mulheres engravidem", justifica o norte-americano.

"Não ando aqui a correr atrás de arco-íris nem de fantasias", afirmou em entrevista ao programa de televisão "60 minutes". Nos últimos dias, o advogado australiano Stephen Page tornou-se num dos seus maiores críticos, sobretudo depois de Joe Donor revelar que não faz a despistagem das doenças sexualmente transmissíveis. "Ele é louco e perigoso", considera. "Estás a lixar a vida a essas mulheres", disse-lhe diretamente.

Em declarações ao programa de informação, o norte-americano reage às críticas. "Nenhuma delas adoeceu", assegura, apesar de admitir ter recusado os pedidos que várias mulheres com quem teve relações sexuais lhe fizeram. "Algumas querem fazer exames ou testes [de despistagem] de droga [mas] explico-lhes que não me vão dar as chaves que dão acesso a mísseis nucleares. Vamos só fazer um bebé", refere.

Às mulheres e aos casais que preferem utilizar o seu esperma para gerar uma criança por não terem recursos para recorrer a uma clínica de fertilização, Joe Donor recolhe-o com um kit de seringas e envia-o diretamente. "Por dia, não faço mais de cinco recolhas", informa. "Estou só a ajudar mulheres a realizar um sonho", assegura o norte-americano, que promove os seus préstimos em redes sociais como o Facebook.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.