Quando se trata de viajar, dentro ou fora do país, há que fazer um plano dos gastos que irá ter. Com a ajuda do subsídio de férias muitas famílias querem descansar e aproveitar os dias livres com tudo o que têm direito. Contudo, não tem de gastar o subsídio todo para ter umas boas férias.

A melhor forma de marcar umas férias a um bom preço é fazer um orçamento, em que irá definir o montante disponível e como pode poupar em cada uma das categorias que vai ter em conta. Siga estas quatro dicas para fazer o seu orçamento de férias.

1. Contabilize todos os gastos (mesmo aqueles em que não está a pensar!)

Algumas famílias podem fazer um orçamento de férias, que facilmente derrapa, pois não foram tidas em conta todas as despesas. Tudo começa também no valor do alojamento e da viagem. Se vai para o estrangeiro, deve ter em atenção as taxas turísticas que podem não estar incluídas no valor do hotel (geralmente acresce um valor fixo por noite). Já no valor da viagem, se for de avião pode contar com um valor fixo; mas se andar de carro, terá de contemplar quantos depósitos cheios poderá gastar e portagens.

Deve ainda acrescentar um valor para refeições e um valor para atividades de lazer. Durante o período de férias, pode gerir este valor durante os dias, sempre tendo em vista qual o valor que tem disponível. Contabilize para um valor em excesso, para prevenir imprevistos.

2. Contem também com despesas de saúde e de segurança

Para quem vai fazer uma viagem longa, terá de pensar em ter cuidados de saúde redobrados. Pode ter de levar vacinas específicas consoante o local. Já no seguro de viagem, deve comparar as coberturas que quer efetivamente e por que período. Esta despesa também deve ser integrada no plano.

Se tiver que renovar o passaporte ou pagar um visto, deve também contemplar os gastos que poderá ter nestas operações.

Se quiser poupar nos seguros, sugerimos fazer o pagamento com cartão de crédito com modalidade a 100%, pois muitos cartões têm seguros incluídos que podem ser utilizados na viagem. Uma forma de poupança imediata, pois não terá de ter um custo acrescido.

3. Comparar valores e benefícios em conjunto

Na escolha do alojamento, viagem e restaurantes deve contemplar não só o valor final. Deve também olhar para a localização, a qualidade do alojamento e se tem ou não pequeno-almoço. Ter tudo incluído pode ser uma opção se quer ter todos os serviços disponíveis para si. Se, por outro lado, fizer as refeições fora mais baratas, pode dispensar o pequeno-almoço e procurar lugares com outro tipo de serviços.

Defina que tipo de viagem quer fazer e quais os serviços que acha indispensáveis. Desta forma, quando comparar opções, irá comparar diferentes variáveis e escolher aquela que reúne mais vantagens. Por vezes pode pagar mais 50€ do que outra opção, mas esse valor trará uma poupança em termos de tempo e aproveitamento.

4. Consulte o fundo de lazer

Não estamos a falar do fundo de emergência, mas sim algum dinheiro que foi poupando ao longo do ano ou que até ganhou com alguma atividade extra trabalho. Veja se pode retirar um valor para ajudar nas despesas, evitando assim ter de contrair créditos. O fundo de lazer pode ser utilizado para este tipo de programas, se achar que vale a pena ter essa experiência nas férias.

Se já estiver confortável com o orçamento, pode ser guardar o valor para umas próximas miniférias. A gestão do valor é sua amiga.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.