A época natalícia deste ano, para muitos, será marcada pela contenção financeira, pela crise económica e pela austeridade a que esta obriga mas isto não significa que a austeridade seja o único presente no sapatinho. Se não quer deixar de oferecer uma lembrança, faça-o da forma menos penalizante para a sua carteira, tomando as melhores decisões para o seu saldo bancário, sem deixar de mimar aqueles de que mais gosta.

Veja, de seguida, algumas das regras que deve seguir para conseguir gerir bem o seu dinheiro:

1. Comparar preços

É uma das melhores formas de poupança nesta quadra e existem alguns sites que comparam preços do mesmo produto em diversas lojas. Se pretende oferecer um presente de preço avultado, como um computador ou telemóvel, clique em sites como o www.kuantokusta.pt, escreva o nome do produto e procure a loja com o preço mais em conta.

2. Investir nas compras em grupo

Quer oferecer um jantar romântico ao seu parceiro, um workshop de dança à sua melhor amiga ou uma massagem à sua irmã? Os sites de compras em grupo são um bom meio para adquirir estas experiências, com descontos que podem chegar aos 80%. Se está curiosa, aceda a sites como o SAPO Voucher, a Showroomprive.pt, o Good Life ou ainda a Let's Bonus.

3. Fazer você mesmo

Em vez de gastar muito dinheiro em ofertas que em muitos casos de pouco ou nada servem, aproveite para fazer licores caseiros, bolachas, saquinhos de pot-pourri e por aí fora... A imaginação é o limite! Depois, só tem de os embrulhar de forma criativa e original para, com um investimento substancialmente menor, surpreender familiares, amigos e/ou colegas.

4. Recorrer aos outlets online

Ideais para comprar roupa, sapatos e malas de marca, mas com desconto. Regra geral, os produtos vendidos são de coleções antigas. Marcas como Springfield, Mango ou Lanidor já aderiram ao formato outlet online.

5. Apostar nos leilões online

A oferta é muita. desde obras de arte, a automóveis, passando por móveis antigos, pode encontrar de tudo nestes sites. Aqui as vendas fazem-se através de licitação e, no final, quem der mais leva o produto para casa.