Os homens que não estão em forma e trabalham mais do que é suposto (41 a 45 horas por semana) têm uma probabilidade 59 por cento maior de morrer por doença cardíaca do que aqueles com uma condição física semelhante mas que trabalham menos de 40 horas.

O antídoto, segundo um estudo do Centro Nacional de Investigação do Ambiente Laboral de Copenhaga, na Dinamarca, encontra-se em evitar o sedentarismo e fazer exercício regularmente.

De acordo com a mesma investigação, trabalhar mais horas não aumenta o risco para o coração se se mantiver uma boa condição física. Se a crise o obrigar a trabalhar mais, faça desporto.

A responsabilidade editorial desta informação é da revista

[caption][/caption]

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.