Hoje, o SeaWorld Parks & Entertainment anunciou que o SeaWorld Rescue já auxiliou mais de 35.000 animais marinhos e terrestres ao longo dos seus 55 anos de história. As tendências nos dados de resgate sugerem que o impacto da atividade humana nos nossos oceanos, como a poluição por plásticos, está a afetar cada vez mais a vida selvagem marinha nos últimos anos.

Para aumentar a consciencialização sobre as ameaças à vida selvagem, a empresa também lançou um novo canal, o SeaWorld Rescue, no Instagram, que conta a história de resgate, reabilitação e libertação, visto pelos olhos da linha de frente do salvamento de animais.

"Como organização, queremos chegar a um ponto onde realizamos menos operações de resgate, não mais, mas atualmente há muitos animais selvagens doentes, aflitos ou abandonados que precisam da nossa ajuda“, disse Jon Peterson, líder sénior de Operações Zoológicas no SeaWorld Orlando, que ajudou pessoalmente milhares de animais.

Seaworld
créditos: Seaworld

"Ainda não chegamos lá, mas há muito mais consciência agora do impacto que os humanos estão a ter na saúde do oceano e nos animais que vivem no oceano do que quando comecei a equipa de resgate, e isso dá-nos esperança. Parte da missão do SeaWorld é aumentar a consciencialização e a educação sobre o verdadeiro impacto que os humanos estão a ter nos nossos oceanos e os efeitos prejudiciais sobre a vida selvagem marinha”.

O SeaWorld revela mudanças nas temperaturas da superfície do mar, desenvolvimento urbano e perda de habitat, juntamente com a poluição do oceano, como principais causas e preocupações que afetam a vida selvagem marinha. De acordo com dados do SeaWorld Rescue, por exemplo, aproximadamente metade dos peixes-boi resgatados na costa da Flórida desde 2015 estavam em perigo devido a atividades humanas.

Além dos esforços de resgate do SeaWorld, a sua equipa de experientes zoólogos e investigadores está a trabalhar nas linhas da frente da conservação no mundo inteiro para ajudar alguns dos cerca de um milhão de espécies que estão a ser levadas à extinção.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.