Dois homens que se fizeram passar por russos reuniram-se na segunda-feira em um hotel da capital francesa com Marie-Madeleine Dioubaté, ex-candidata ecologista à presidência de Guiné-Conacri, para avaliar a pedra preciosa.

Após a análise, os homens entregaram um documento no qual certificavam que a pedra valia 45 milhões de euros, afirmou uma fonte policial.

Mas sem que ela se apercebesse, durante a avaliação os dois supostos especialistas substituíram o verdadeiro diamante por uma cópia.

Marie-Madeleine Dioubaté
Marie-Madeleine Dioubaté, em Conakry, em 2015 créditos: CELLOU BINANI / AFP

Quando a vítima se apercebeu da troca, os dois homens já tinham abandonado a estância hoteleira. Marie-Madeleine Dioubaté apresentou denúncia à justiça francesa.

Ao falar sobre o valor real do diamante, uma fonte policial disse que "no momento tudo se resume a afirmações".

Marie-Madeleine Dioubaté, do Partido Ecologista de Guiné, foi a única mulher candidata à presidência no pleito de 2015, vencido pelo presidente Alpha Condé.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.