Jorge Saenz adquiriu o Dino e a Dina, como batizou as duas figuras, num mercado de rua em La Paz, capital da Bolívia. Pouco depois, para promover algumas das mais belas paisagens da América do Sul, o fotógrafo paraguaio resolveu começar a fotografar o par de animais pré-históricos a viajar pelos vários dos países da região que visitava. Desde aí, nunca mais parou. A hashtag #Dinodinaseries permite ver onde andam.

A original experiência fotográfica já deu origem a dois livros da coleção "DinoDinaSeries". "La partida", o primeiro, explica pormenorizadamente as origens do projeto. O segundo, "El encuentro", apresentado publicamente em dezembro do ano passado, prossegue o relato fotográfico. Além de imagens registadas em 10 países da América Latina e na Alemanha, que pode ver de seguida, a obra inclui textos em sete línguas.

Jorge Saenz, um dos fundadores da El Ojo Salvaje, a associação de fotógrafos do Paraguai, foi recentemente galardoado com o Premio Nacional Oscar Trinidad, um prémio que distingue os que procuram, com as suas obras, contribuir para um maior desenvolvimento da cultura do país. O também correspondente da agência noticiosa Associated Press já publicou uma dezena de outros livros de fotografia documental.