Há um novo museu em Nova Iorque que quem gosta de cães não pode deixar de visitar. Inaugurado em 1982, foi transferido para Saint Louis, no Missouri, em 1986 e funcionou lá até 2017. Nas últimas semanas, regressou à metrópole que o viu nascer e prepara-se para (re)abrir portas na próxima sexta-feira. No American Kennel Club Museum of the Dog, além de pinturas e esculturas de mascotes, há experiências interativas.

No número 101 da Park Avenue, em pleno centro de Manhattan, podem ser admirados, a partir de dia 8, quadros da época vitoriana, cartazes de filmes protagonizados por canídeos e estátuas. Os 15.000 livros que integram a biblioteca do museu também passam a estar disponíveis. Uma das principais atrações promete, no entanto, ser o ecrã interativo que permite aos visitantes descobrir com que raça se parecem mais.

American Kennel Club Museum of the Dog
Fotografia de American Kennel Club Museum of the Dog

Localizado no edifício Kalikow, o American Kennel Club Museum of the Dog promete voltar a atrair atenções e a vender novamente (muitos) bilhetes. "Por falta de espaço, tivemos de sair de Nova Iorque e ir para Saint Louis, mas estávamos longe [do centro] da cidade e não tínhamos muitos visitantes", justificou já publicamente Alan Fausel, diretor de recursos culturais do espaço museológico dedicado aos canídeos.

"Além de termos uma das melhores coleções de pintura com cães britânica, dispomos de seis ecrãs digitais interativos, alguns deles divertidos e interessantes, que ensinam os visitantes a treinar o seu cão. E também disponibilizamos informações sobre as 193 raças aceites pelo American Kennel Club", refere ainda. Os bilhetes podem ser adquiridos online e custam entre cinco dólares (4,40 €) e quinze dólares (13,20 €).

American Kennel Club Museum of the Dog
Fotografia de American Kennel Club Museum of the Dog

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.