Keri Young estava grávida de 19 semanas quando descobriu, numa consulta normal de gravidez, que a bebé que carrega na barriga não tinha cérebro. Os médicos aconselharam-na a abortar.

A notícia chocou a família Young, mas trouxe uma decisão surpreendente: a progenitora decidiu levar a gravidez até ao fim para doar os órgãos para bebés que deles necessitem para sobreviver.

Foi o marido de Keri, o jornalista Royce Young, que deu a conhecer o caso numa mensagem dedicada à mulher, publicada no Facebook.

Royce descreveu o momento em que a família soube da notícia e elogiou a coragem de Keri. "Apesar de todo o seu corpo chorar profundamente, de alguma forma Keri conseguiu levantar-se e perguntar: 'se a tiver até ao fim, podemos doar os seus órgãos?'", recorda o pai.

Veja ainda: Como dormem os casais que estão à espera de bebé?

Leia tambémInglesa “viciada em bebés” está à espera do 13º filho

"Todo o processo tem sido difícil, mas eu digo isto assistindo das bancadas, tal como vocês. A Keri tem estado no campo o tempo todo, a sentir cada pontapé, cada soluço. Ela é lembrada a cada momento, todos os dias, que carrega um bebé que vai morrer".

"Esta foi uma das experiências mais poderosas que já vivi. Em oito anos que estamos casados (15 em que estamos juntos), tive vários momentos em que pensei: 'caramba, que sorte tenho em estar casado com esta mulher. Mas desta vez foi diferente. Percebi que não só estou casado com a minha melhor amiga, mas também com um ser humano absolutamente notável e especial", acrescentou Royce Young.

O parto de Keri está previsto para 7 de maio.