A ex-primeira-ministra Margaret Thatcher, falecida aos 87 anos, entrará para a história como a implacável Dama de Ferro, que marcou profundamente a vida política britânica do século XX e que até hoje provocou polémica.

A sua lenda foi forjada pela sua autodeterminação para impulsionar a liberalização económica dos anos 1980, para resistir às pressões europeias, para enviar a marinha real às Malvinas para combater as tropas argentinas em 1982 e devido à sua intransigência perante o nacionalismo do grupo IRA na Irlanda do Norte.

Mas aquela que foi nos anos 1980 uma das mulheres mais poderosas do planeta terminou a sua vida nas brumas da senilidade.

Traída por uma saúde delicada que, desde Março de 2002, obrigou-a a renunciar a falar em público, "Maggie" Thatcher foi muito afectada pela perda do seu marido, Denis, depois de mais de 50 anos de casamento, em Junho de 2003.

Ele apoiou-a ao longo de toda uma carreira que a tornou um verdadeiro "monstro sagrado" no seu país.

Nascida no dia 13 de Outubro de 1925, Margaret Roberts cresceu em Grantham, no centro da Inglaterra, onde o seu pai, Alfred, comerciante, dividia o seu tempo entre a Igreja metodista e o conselho municipal. Na casa da família, a missa era obrigatória e o trabalho uma segunda religião, razão pela qual a jovem saía pouco.

Graduou-se em Química em Oxford em 1947 e depois também estudou Direito. Desta época data a sua aproximação da política. Em 1951, casou-se com o empresário Denis Thatcher e, dois anos mais tarde, deu à luz gémeos, Carol, jornalista, e Mark, homem que se dedica aos negócios.

Viciada em trabalho - dormia quatro horas diárias e trabalhava o resto do tempo, segundo pessoas próximas -, foi eleita pela primeira vez deputada em 1959 e escalou rapidamente na hierarquia do Partido Conservador.

Mas ainda não vislumbrava o seu destino. Em 1974, declarou: "Serão necessários anos - e não verei isso de novo durante a minha vida - para que uma mulher dirija este partido ou se torne primeiro-ministro".

No ano seguinte, assumiu a liderança dos "Tories" e, em Maio de 1979, converteu-se na primeira mulher a assumir o posto de primeira-ministra do país. Permaneceu no número 10 de Downing Street por 11 anos, um recorde de longevidade no século XX.

@APF

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.