A mulher de 48 anos foi sujeita uma uma ablação endometrial numa clínica privada, em Marselha, mas dias depois da cirurgia começou a ter dores e dificuldades em dormir e urinar.

"Tive a sensação de que alguém me estava a esfaquear com uma faca na barriga, mas pensei que fosse por causa da operação. Falei com o cirurgião e ele receitou-me um analgésico sem realizar qualquer exame", disse ao jornal francês Le Parisien.

Já em casa, as dores intensificaram-se e alastraram-se à parte inferior do estômago. Foi nessa altura que a mulher voltou a procurar ajuda médica.

"Falei com os enfermeiros e com o cirurgião. Ele disse-me que estava magra e prescreveu-me comprimidos para as dores, sem fazer qualquer exame".

Entretanto, a mulher começou a sentir contrações fortes. Quando se apercebeu, "deu à luz" uma luva de látex e cinco compressas. As contrações duraram quatro horas e deixaram-na numa "poça de sangue", escreve o referido diário francês.

Médico não pediu desculpa, diz mulher

Após perceber o que tinha acontecido, a mulher dirigiu-se à clínica para confrontar o cirurgião, mas acabou por ficar chocada com a sua reação.

"Se não está feliz, vá em frente e contacte a minha seguradora", terá dito médico, cita o diário.

Segundo a queixosa, o cirurgião "nem pediu desculpa". "A atitude dele levou-me a apresentar uma queixa na justiça", acrescenta.

Depois do incidente, a mulher não conseguiu trabalhar durante vários dias e continuou a sentir dificuldades em urinar.

Segundo o jornal francês, a mulher pediu para ficar no anonimato.