Por esta altura, já dois terços do ano letivo ficaram para trás. O calor está à porta e a motivação para estudar, muitas vezes, começa a esgotar. O cansaço faz-se sentir. Entramos na reta final, antes das tão desejadas férias de verão. Há que saber motivar a criança para os derradeiros testes de avaliação e para os exames nacionais - essa motivação dependerá em muito de um bom suporte emocional. Sem motivação não há aprendizagem e sem aprendizagem não há sucesso escolar.

É costume dizer-se que sem motivação se aprende pouco e se esquece rápido. E, especialmente quando os resultados escolares não são os melhores, é essencial que a família e os professores não deixem de reconhecer o esforço desenvolvido, apesar dos resultados menos bons. Nunca se esqueça: os primeiros a sofrer, caso os objetivos não sejam alcançados, são, regra geral, os próprios alunos!  

É fundamental que se mantenham elevados os níveis de concentração e de empenho nesta fase em que tudo se decide. Tenha atenção! Exigir mais do que a criança tem capacidade para dar, pode conduzir a ansiedade, a medo de fracassar e a uma baixa de autoestima. 

Saiba como ajudar e quais as melhores estratégias para desenvolver bons hábitos de estudos, em particular neste último período de aulas:

1. Organização

Com método e planeamento tudo fica mais fácil. Quanto mais cedo melhor. Se ainda não tem, arranje um calendário que possa ser afixado na parede do quarto, junto à secretária onde a criança estuda. Nesse calendário coloque todas as datas dos testes e de outras tarefas escolares que restam realizar até ao fim do ano letivo. Ter bons hábitos de organização, é um dos segredos para se obter maior rendimento e alcançar metas e objetivos.

2. Lista de prioridades

Essa lista permitirá direcionar os estudos em função das matérias mais relevantes e sistematizar o trabalho em casa de uma forma mais eficaz e com maior probabilidade de atingir melhores resultados. Contribuirá, ao mesmo tempo, para evitar eventuais problemas na organização e aumentar a motivação da criança. Elabore um plano de estudo semanal.

3. Material escolar 

Coloque à disposição tudo o que a criança precisa para poder desenvolver o seu estudo da forma mais adequada. Crie condições em casa para que se sinta confortável no seu ambiente de estudo. Ter de procurar, por exemplo, um lápis ou uma régua a meio da tarefa, pode gerar faltas de concentração desnecessárias.  É importante que a criança tenha disponível na sua secretária todos os materiais escolares de que necessita (mesmo que fora do seu alcance visual, por forma a evitar que sejam um estimulo distrátil). É igualmente essencial que esteja num espaço tranquilo, sem elementos suscetíveis de perturbar a sua atenção. Por exemplo, os jogos, os telemóveis e as redes sociais não são bem-vindos. Devem, assim, ser evitados durante os períodos de estudo.

4. Recurso a imagens

algumas crianças memorizam melhor as matérias quando as estudam através de símbolos gráficos. Sempre que possível, ensine-a a recorrer a desenhos/ símbolos para fazer os apontamentos mais relevantes.

5. Pausas no estudo

Os intervalos regulares são essenciais para não sobrecarregar a mente e recarregar as energias. É preferível ter 20 minutos de atenção total do que uma hora ou duas de distração.

6. Rotinas

Depois de realizar as suas tarefas diárias, a criança deverá preparar todos os materiais que precisa de levar no dia seguinte para a escola, evitando assim, por exemplo, esquecer-se dos cadernos e livros necessários para cada disciplina. 

7. Suporte familiar

Pais e outros educadores devem contribuir para uma maior motivação da criança para esta reta final de ano letivo. Pergunte diariamente à criança sobre o que aprendeu nas aulas e procure entusiasmá-la para o conhecimento. O acompanhamento familiar tenderá a aumentar os níveis de concentração da criança durante o processo de aprendizagem. Nunca se esqueça que a criança costuma replicar o nosso entusiasmo. É importante que se sinta motivada para atingir os objetivos. A motivação é a base de toda a aprendizagem.

8. Comunicação com os professores

A falta de diálogo pode ter várias consequências indesejáveis, abrir caminho a expectativas irrealistas e dificultar o cumprimento dos objetivos. Estimule a criança a perguntar o que não sabe sobre a matéria e a colocar dúvidas. A comunicação entre pais, alunos e docentes é essencial para uma aprendizagem bem sucedida.  É fundamental manter as portas do diálogo sempre abertas entre os vários intervenientes no processo educativo, de forma a ultrapassar em conjunto eventuais dificuldades que possam surgir durante o ano escolar. 

9. Sistema de recompensas 

As boas notas e o esforço despendido merecem ser premiados. Relembrar a possibilidade de ter aquele jogo que a criança sempre quis ou aquele passeio tão desejado, podem ser o estímulo necessário para manter o foco. O desejo de alcançar o que pretende contribuirá para aumentar os níveis de motivação e concentração nas aulas. Pode, também, criar um sistema de recompensas ao nível do estudo diário, por exemplo, por cada capítulo estudado terá acesso ao computador durante 30 minutos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.