As crianças pouco sabem sobre as crenças religiosas e as tradições por trás da Páscoa, mas uma coisa sabem bem: a Páscoa é sinónimo de chocolate, muito chocolate.

Avós, padrinhos, tios, primos e vizinhos aproveitam esta data e presenteiam a criançada com chocolate: ovos de chocolate (com presente ou sem), coelhos de chocolate, ovos pequenos de chocolate.

Infelizmente a maior oferta é de chocolate de leite, que têm doses muito altas de gordura e açúcar adicionados. O que devem os pais fazer?

Proibir a oferta de chocolate seria como iniciar uma pequena guerra familiar, por isso, algumas regras terão de ser estabelecidas para que ninguém saia descontente nesta data:

- Crianças com menos de 2 anos não devem comer chocolates, não devem comer doces. Aqui os pais terão de ser intransigentes e explicar aos familiares que a criança ainda é muito pequena e que não pode comer chocolate. Na pior das hipóteses agradecem, escondem e depois comem os chocolates longe da vista dos filhos.

- Explicar aos seus filhos que provavelmente irão receber muitos chocolates mas que não os podem comer todos de uma vez e combinar com eles que se guardam alguns chocolates. A ingestão será controlada na quantidade (20 a 30g/ dia no máximo) e idealmente no final de uma refeição completa e não como snack (para evitar oscilações nos níveis de açúcar no sangue).

- A alimentação saudável não deverá ser descurada durante as férias da Páscoa. Opte pela ingestão regular de fruta e legumes e por fazer bons níveis de hidratação, para evitar “ataques de fome” e “ataques ao chocolate”.

- Ter umas férias ativas. Evitar passar muito tempo fora de casa, parado e mais próximo de guloseimas.

- Alternativas para a caça aos ovos da Páscoa: pintar ovos cozidos, esconder pequenos presentes, comprar ovos de chocolate pequenos e com maior percentagem de cacau para completar a caça.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.