Quem é que nunca se imaginou com uma cor de cabelo totalmente diferente? Seja uma mudança drástica ou pequenas madeixas, pintar o cabelo é uma opção que conquista cada vez mais adeptas, pela inovação imediata que tem no visual.

Hoje em dia, a coloração capilar está pensada para não estragar o cabelo, permitindo mais liberdade e frequência nas mudanças de cor. Ainda assim há cuidados essenciais que não deve esquecer. O colorista Joel Nunes partilha consigo alguns truques para manter um cabelo saudável, apesar de pintado.

Temporária ou permanente

A coloração capilar divide-se em dois tipos principais (temporária e permanente) que poderá escolher de acordo com o objectivo que pretende atingir. A coloração temporária dá mais brilho e é usada, normalmente, para cobrir cabelos brancos ou para conferir um tom mais discreto à cor natural. Este tipo de tinta sai gradualmente com as lavagens e não muda de um tom escuro para um mais claro, mas pode adicionar profundidade e beleza aos cabelos claros.

A coloração permanente penetra no núcleo interno do cabelo e por isso mantém-se mesmo após as lavagens. É a tinta indicada para resultados mais radicais como grandes mudanças de cor e permite descolorar os cabelos dependendo da força do peróxido de hidrogénio, mas o colorista deixa o alerta: «Quanto mais forte o descolorante, mais duro será o efeito no cabelo».

Em casa

Enquanto a coloração permanente só pode ser realizada em salões de cabeleireiro, se optar pela temporária pode fazê-lo você mesma. Existem vários produtos no mercado que permitem tratar da cor do seu cabelo em casa, o que na opinião de Joel Nunes «também tem um bom efeito, mas é mais difícil fazer uma boa aplicação da tinta e a parte de trás da cabeça nunca fica tão bem».

Uma das vantagens deste tipo de produto é que os amoníacos presentes nas suas fórmulas são mais ligeiros que os usados a nível profissional. Esta diferença na formulação é importante para evitar possíveis danos ou riscos, pois «assim uma pessoa que não tem conhecimento na área não prejudica tanto o cabelo», explica o colorista.

Veja na página seguinte: Os atentados ao estilo que mais se cometem

Atentados ao estilo

O maior erro que se comete ao tentar preservar a cor de um cabelo pintado é aplicar a coloração em todo o cabelo, o que acaba por sobrepor as tintas. Nestes casos, «deve pintar apenas o bocadinho da raiz que está com a cor original» defende Joel Nunes. A sobreposição de tintas pode ter resultados catastróficos como explica o colorista, «estas têm produtos descolorantes e se se colocar um castanho em cima do louro, por exemplo, pode ficar com uma tonalidade verde».

Além disso, com descolorante em excesso o cabelo fica «sem brilho, quebradiço e descaracterizado», alerta. Também a evitar é o uso do secador demasiado perto do cabelo. Siga o conselho deste especialista: «Mantenha o secador a, pelo menos, 25 centímetros de distância do cabelo.

Cuidados essenciais

O principal truque para ter um cabelo pintado e saudável é mantê-lo sempre hidratado. «Qualquer coloração, temporária ou permanente, seca muito o cabelo, a haste fica mais sensibilizada, por isso, o segredo é a hidratação», salienta Joel Nunes. Ao lavar depois de uma aplicação é importante «retirar muito bem a tinta em excesso, emulsionar e enxaguar mais que uma vez», explica o colorista.

No dia-a-dia, para ajudar a manter a cor e o brilho do cabelo, o especialista aconselha a não colocar directamente o chuveiro por cima da cabeça, mas antes a «emulsionar e massajar várias vezes o cabelo, fazendo muita espuma. Assim consegue mais brilho e mantém a cor durante mais tempo».

Aliados imprescindíveis

Quando escolher um champô deverá optar por um produto indicado para cabelos pintados, dado que «são produtos menos agressivos com um pH neutro, hidratam e ajudam a proteger do sol», explica o colorista. Pode ainda utilizar champôs com a cor equivalente à tonalidade que aplicou, o que também ajuda a manter os tons vivos e brilhantes, contudo, «este tipo de champô deve ser alternado com outro mais suave e neutro», alerta.

Para uma hidratação mais profunda, deve ainda aplicar, uma vez por mês, «uma máscara e deixar actuar no mínimo dez minutos em repouso». Em relação ao serum capilar, Joel Nunes defende a sua utilização apenas «para dar um acabamento, pois o objectivo não é hidratar. Ás vezes é melhor cortar as pontas secas, do que colocar um serum».

Texto: Raquel Amaral com Joel Nunes (colorista)
Foto: Artur (com produção de Mónica Maia)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.