Não há criança e adulto que não se veja caído em fascínio perante mundos em miniatura. Se dúvidas há, basta pensarmos nas universais casinhas de bonecas, nas pistas de comboios e até no sucesso de histórias como “As Viagens de Gulliver”, de Jonathan Swift, um autor anglo-irlandês que situou o seu herói numa terra de criaturas com um dedo de altura.

Trazendo para a realidade estes mundos liliputianos, o artista israelita Shay Aaron, decidiu em 2009 iniciar um projeto de comida em miniatura. Aaron, de 31 anos, transpõe para a escala de 1:12 (1 centímetro na miniatura representa 12 centímetros no objeto real), tudo aquilo que encontramos numa cozinha.

Frango assado, bolos, queijos, pães, salsichas, frutas e legumes, guisados apetitosos, até mesmo sushi, são objeto da atenção de Aaron que, paralelamente, trabalha num centro de apoio a crianças e adultos com necessidades especiais. Shay Aaron ensina, também, artes decorativas.

Cada nova criação de Aaron ocupa-lhe dezenas de horas de trabalho. Há que garantir as proporções certas no objeto recriado, as texturas exatas, o brilho, entre outros elementos. Aaron começa por um esboço em papel, depois de pesquisar em revistas e livros de cozinha.

Israelita «cozinha» banquetes que cabem sobre a palma da mão
Um prato de enchidos e fumados. Para chegar ao resultado que aqui vemos, o artista chega a produzir duas dezenas de ensaios. créditos: Shay Aaron

A produção de uma única peça pode significar muita matéria-prima deitada no lixo. O jovem israelita utiliza no seu trabalho massa de polímeros (semelhante a plasticina), tintas acrílicas, vernizes, papel, resina, madeira, cerâmica. Aaron considera-se um colecionador de materiais e assume uma busca incessante por novas massas de polímeros e técnicas.

Entre estas técnicas, uma das mais utilizadas por este israelita de Tel Aviv é a centenária Millefiori, ou seja, a arte de criar cilindros de massa utilizando diferentes camadas de cor. Estes cilindros são, então, cortados em fatias, produzindo interessantes padrões circulares.

Não menos moroso é o trabalho de produção fotográfica e que envolve centenas de horas de estúdio para captar com rigor esta comida liliputiana.

O trabalho de Shay Aaron, que inclui brincos e botões de punho, está à venda na plataforma de criadores de artesanato, Etsy e pode ser acompanhado no perfil Instagram do autor.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.