A granola tem vindo a entrar nos nossos pequenos-almoços e lanches de forma progressiva. Uma simples mistura de flocos de aveia, frutos secos, sementes, fruta, coco ou outro ingrediente à sua escolha, torna uma pequena refeição numa refeição equilibrada e bastante completa. Nos supermercados somos capazes de encontrar um corredor inteiro com diferentes granolas. Mas será assim uma opção tão saudável?

Valor nutricional

A granola é rica em proteínas, fibras e micronutrientes tais como ferro, magnésio, zinco, cobre, selénio e vitaminas do complexo B e vitamina E. No que diz respeito às calorias, este valor varia bastante e depende essencialmente dos ingredientes utilizados.

Ao comparar vários tipos diferentes de granola é possível observar que, no geral, as granolas com mais frutas secas ou com adição de açúcares (seja sob a forma de adoçantes artificiais como xarope de glucose, adoçantes naturais como o mel ou sob a forma de açúcar branco) são, obviamente, mais ricas em açúcar. As variedades com adição de nozes e sementes são mais ricas em proteínas e as que possuem apenas nos seus ingredientes cereais integrais têm um valor mais elevado de fibra.

Benefícios para a saúde

Tal como já foi referido, tanto o valor nutricional como os benefícios irão depender dos ingredientes que fazem parte da composição de cada granola. No entanto, as granolas ricas em sementes, aveia e frutos secos (como a amêndoa) estão associados a inúmeros benefícios.

Por serem ricas em fibra e proteína, as granolas contribuem para uma longa sensação de saciedade uma vez que potenciam a libertação de hormonas responsáveis por essa sensação e aumentam o tempo de digestão, o que contribui para um maior controlo do apetite.

Por outro lado, o consumo de granola também melhora a pressão arterial, reduz os níveis de colesterol, reduz a quantidade de açúcar no sangue, melhora a saúde intestinal e fornece um elevado teor de antioxidantes, importantes para combater as inflamações do seu corpo.

Contrapartida

Da mesma forma que a granola possui ingredientes saudáveis, também poderá ter ingredientes menos interessantes do ponto de vista nutricional ricos em açúcares e gordura. Ao consumir mais do que a porção adequada às suas necessidades pode levar ao aumento indesejável de peso, aumentando o risco de aparecimento de obesidade e doenças metabólicas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda um consumo de açúcar limitado a 10% do total de calorias consumidas por dia, o que equivale a, aproximadamente 50g. Algumas granolas possuem cerca de 17g de açúcar numa única porção de 30g. Como é muito habitual ultrapassarmos a porção recomendada de granola, é facilmente possível ingerir uma grande quantidade de açúcar numa única refeição.

Escolher a melhor granola

Cada embalagem de granola é diferente e possui uma grande variedade de ingredientes. Por essa razão torna-se essencial verificar a lista de ingredientes do rótulo das embalagens. Evite as granolas que tenham como primeiros ingredientes as palavras “açúcar”, “xarope de glucose” ou até mesmo “mel”.

Escolha as granolas que possuam, pelo menos, 3 a 5 gramas de fibra por porção (habitualmente uma porção corresponde a 30g e muitos rótulos apenas apresentam a tabela nutricional para 100g de produto). A melhor granola é caseira. Escolha produtos naturais e evite adicionar açúcar ou coloque apenas uma pequena quantidade de mel. Para além de ficar muito mais barato, poderá personalizar ao seu gosto.

As explicações são de Catarina Sofia Correia, nutricionista na Clínica Tejo Saúde, parceira do Fitness Hut - Grupo VivaGym.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.