O alerta foi dado por investigadores das Universidades de Queensland, na Austrália, e de Ghent, na Bélgica. Os cientistas, cujo trabalho foi publicado no British Medical Journal e citado pelo Daily Mail, argumentam que os medicamentos usados para aliviar o nariz tapado nunca devem ser administrados a crianças com menos de seis anos de idade, e só com muita cautela podem ser aplicados em miúdos abaixo dos 12. Em crianças com menos de dois anos, os descongestionantes foram mesmo associados a convulsões, batimentos cardíacos rápidos e morte.

Em vez de recorrerem a este tipo de produtos, as crianças devem ser informadas de que os seus sintomas melhorarão sozinhos. A maioria das constipações são causadas por vírus que não podem ser tratados, mas curam-se por si.

Enquanto os descongestionantes são capazes de ajudar a aliviar os sintomas nos adultos, não há qualquer prova de que funcionem nas crianças, podendo ter consequências adversas como sonolência ou problemas de estômago.

A professora Mieke van Driel, da University of Queensland, disse que nenhum dos outros tratamentos caseiros comumente usados, tais como vaporizações, analgésicos, óleo de eucalipto, ou echinacea são apoiados por provas científicas.

“Se os pais estão preocupados com o conforto dos filhos”, acrescentou a cientista, “as irrigações nasais salinas podem ser usadas com segurança, mas não garantem o alívio desejado”.

As constipações são quase sempre causadas por vírus e têm, geralmente, uma duração limitada, com os sintomas a desaparecerem num período de sete a dez dias.

No entanto, a doença pode ter um impacto substancial no trabalho, na escola, nos serviços de saúde e no dinheiro gasto em medicação. Paracetamol e anti-inflamatórios são por vezes prescritos para o alívio da dor, mas não parecem melhorar a congestão nasal ou narizes a escorrer.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.