Patricia Dowdy, de 61 anos, "não respondeu às normas de qualidade e profissionalismo de atendimento que esperamos e que o professor Hawking merecia", explicou o conselho das enfermeiras e parteiras (Nursing and Midwifery Council - NMC) em comunicado publicado no seu site. "Portanto, a senhora Dowdy não poderá mais trabalhar como enfermeira".

Patricia Dowdy, que cuidou de Stephen Hawking durante 15 anos, foi alvo de uma suspensão profissional em março de 2016.

"Dowdy era alvo de várias acusações por falhas profissionais, em relação ao atendimento que dava ao professor Stephen Hawking", detalhou o NMC.

A enfermeira era acusada de "abuso financeiro, desonestidade, de não ter fornecido as atenções requeridas, não ter cooperado com o NMC e não dispor das qualificações exigidas".

Segundo o tabloide Mail on Sunday, a família do cientista comunicou ao NMC as suas preocupações sobre a atitude de Dowdy, o que levou à abertura de uma investigação.

Afetado por Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), diagnosticada em 1964, Stephen Hawking passou a maior parte da sua vida em uma cadeira de rodas, quase completamente paralisado, podendo falar apenas através de um sintetizador vocal.

Stephen Hawking tornou-se num dos nomes da ciência mais prestigiados em todo o mundo com o seu novo olhar sobre os buracos negros. Aos 21 anos, foi-lhe dito que sofria de esclerose lateral amiotrófica e que teria apenas dois anos de vida.

O físico britânico morreu em 2018.