É provavelmente o maior criminoso da Europa desde a segunda guerra mundial.

O tribunal de Oldenburg, noroeste da Alemanha, declarou Niels Högel, de 42 anos, culpado pelo homicídio de dezenas de doentes através de injeções letais nos hospitais em que trabalhou entre 2000 e 2005.

A policia suspeita que ele tenha matado, ao todo, cerca de 200 pessoas, mas vários casos não poderão ser esclarecidos porque os corpos das supostas vítimas foram cremados.

Os crimes cometidos por Niels Högel "desafiam a razão e todos os limites conhecidos", afirmou o presidente do tribunal de Oldenburg, Sebastian Buhrmann.

As vítimas, com idades entre os 34 e 96 anos, eram escolhidas ao acaso por Högel.

Entre 2000 e 2005, o enfermeiro injetou uma superdose de medicamentos em dezenas de pacientes, alegando que se queria destacar entre os colegas ao reanimar os doentes.

"Era a única maneira de se integrar na equipa", defendeu.

Niels Högel nasceu em 30 de dezembro de 1976 em Wilhelmshaven e tornou-se enfermeiro, tal como o seu pai, aos 19 anos.

No fim de 1999, começou a trabalhar no hospital de Oldenburg e no início de 2003 no hospital da cidade vizinha de Delmenhorst.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.