Escaparam à morte em acidentes de viação devido ao uso do cinto de segurança e agora as fotografias das contusões com que ficaram estão a ser usadas como símbolo de sobrevivência com o intuito de mostrar a importância da utilização deste dispositivo durante a condução. A iniciativa faz parte de uma campanha de sensibilização de uma agência neozelandesa e visa reduzir o número de mortes nas estradas.

Segundo as estatísticas oficiais, morrem, por ano, naquele país, 90 pessoas em sinistros rodoviários devido à sua ausência, na sua maioria jovens do sexo masculino provenientes de zonas rurais da Nova Zelândia. "Um grupo particularmente difícil de alcançar que continua a não usar o cinto de segurança num veículo em movimento", justifica a NZ Transport Agency no site da campanha de prevenção rodoviária.

"Sabem que existem mas veem-nos como um extra opcional, considerando-os pouco adequados aos homens adultos", sublinha o organismo, que desafiou 10 vítimas de sinistros graves que sobreviveram a reproduzir, com recurso a maquilhagem, as lesões com que ficaram após os acidentes. "Queremos, através do choque, mostrar-lhes o risco [que correm por não usarem cinto de segurança", acrescenta ainda a instituição.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.