Estudantes de medicina detidos por fotografarem mulheres a dar à luz em sala de espera de Hospital na Venezuela

Dois estudantes de medicina e cinco trabalhadores de um hospital venezuelano foram detidos na segunda-feira pela divulgação nas redes sociais de fotografias de mulheres a dar à luz em cadeiras de salas de espera, denunciou uma ONG local.

"Funcionários do CICPC - polícia científica - e do SEBIN - serviço de inteligência- chegaram ao hospital Pastor Oropeza de Barquisimeto (estado Lara, oeste do país) a dizer que investigavam a origem das fotografias e levaram sete pessoas", disse à agência de notícias France Presse Andrés Colmenares, coordenador da organização Funpaz.

No fim de semana foram divulgadas nas redes sociais fotografias de mulheres nuas em trabalho de parto nas cadeiras de metal da sala de espera do hospital.

Colmenares afirmou que os agentes dos corpos de segurança detiveram cinco trabalhadores do hospital e dois estudantes da Universidade Lisando Alvarado de Barquisimeto na condição de "interrogados, sem qualquer tipo de ordem assinada por algum juiz ou procurador".

A Federação Farmacêutica Venezuelana (Fefarven) denunciou em setembro que o setor farmacêutico da Venezuela está a passar por "graves" dificuldades económicas e que as farmácias registam 85% de escassez de medicamentos.

Desde há três anos que na Venezuela são cada vez mais frequentes as queixas da população de dificuldades para conseguir produtos básicos, medicamentos no mercado local, assim como no que toca à assistência hospitalar.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários