Sabia que a dor de cabeça, o cansaço e até as alucinações podem derivar da desidratação do cérebro? Constituído por 85% de água, a percentagem mais elevada no corpo humano, este órgão precisa de manter a hidratação de forma constante. Quando isso não acontece, a capacidade de atenção e a memória de curto prazo diminuem e, curiosamente, a dimensão da massa cinzenta também é reduzida momentaneamente.

Estas foram as conclusões de um estudo levado a cabo por dois investigadores das universidades de Milão e de Bolonha, em Itália, que aconselham a beber entre um litro e meio a três litros de água por dia. Os cientistas alertam ainda os desportistas, sugerindo que quem faz desporto, tal como sucede com as pessoas que vivem em países muito quentes, precisa de beber maiores quantidades deste precioso líquido.

Além de água, pode recorrer a preparados gastronómicos ricos neste ingrediente, como é o caso das sopas e dos sumos naturais, idealmente sem adição de açúcar. Peças de fruta com uma grande proporção de água, como o pêssego, a melancia, o melão, o morango, a framboesa, o abacaxi, a ameixa vermelha, a maçã, a laranja e o quivi, ricos em vitaminas e minerais, também devem ser consumidos com regularidade. Para melhorar as funções cognitivas deste órgão, deve também comer azeite e alho cru, dois ingredientes alimentares que favorecem a memória.

A lecitina de soja melhora a capacidade de memória, tal como sucede com as sementes de sésamo, que são ricas em lecitina, uma substância indicada para pessoas sujeitas a um grande esforço intelectual. O açúcar estimula a libertação de acetilcolina, que potencia a memória. Ingira também alimentos ricos em ómega-3, essenciais na composição da membrana celular dos neurónios como o salmão e as sardinhas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.